O que o formato do seu coco diz sobre a sua saúde! Veja:

Muita gente não gosta de falar sobre esse assunto que vamos abordar, mas ele é muito importante porque está relacionado com a nossa saúde.

 

Começamos perguntando: depois que fez o número 2 no banheiro, tem o costume de conferir o resultado dentro do vaso sanitário? Não? Pois fique sabendo que deveria.

Isso porque o formato, a consistência e a cor do seu excremento dizem muito sobre o seu estado geral de saúde, podendo inclusive indicar alguma enfermidade.

Por isso que estamos trazendo aqui um gráfico que irá ajudar você a identificar os vários tipos de fezes e o que eles estão querendo dizer para você.

Trazemos aqui a Escala de Bristol, uma escala médica que se destina a classificar a forma das fezes humanas em sete categorias.

Essa escala foi desenvolvida pelo médico Ken Heaton na Universidade de Bristol, no Reino Unido, e publicada em 1997 no Scandinavian Journal of Gastroenterology.

O objetivo dessa escala é verificar a saúde do intestino por meio da análise da forma e da textura dos excrementos.

Devemos referir que o formato e a consistência das fezes dependem do tempo de permanência do excremento no cólon.

Na escala de Bristol, existem 7 categorias de fezes: o ideal é ter o formato 4 ou 5. Normalmente, os outros formatos podem indicar que tem alguma coisa errada com você.

Dê uma olhada e compare o formato das suas fezes com as do quadro.

Tipo 1 – Caroços duros e separados, como nozes (difícil de passar)

É quando as fezes são duras e abrasivas. Regra geral, esse tipo de fezes acontece quando a pessoa consome uma dieta baixa em fibras e carboidratos ou na sequência de tratamento com antibióticos.

Nesses casos, os médicos recomendam o consumo de fibras, através de alimentos integrais, frutas e verduras, além de 1 copo de iogurte natural por dia, que é rico em bactérias boas para o intestino.

Tipo 2 – Formato de salsicha mas granuloso

Esse tipo de fezes é muito preocupante porque pode ser muito doloroso na hora de sua expelição, resultando em ferimentos internos e externos, inflamando as hemorroidas.

Muitas condições desagradáveis podem surgir a partir daí, como cólicas, síndrome do intestino irritável e obstrução intestinal. Para chegar a esse formato, as fezes permaneceram no cólon por muito tempo.

Para tratar, é preciso fazer exames médicos, mas os especialistas geralmente recomendam o uso de probióticos e medicamentos que estimulem o trânsito intestinal, além de uma alimentação balanceada

Tipo 3 – Como uma salsicha, mas com fissuras em sua superfície

Esse tipo é muito parecido com o 2, mas o tempo em que ficaram paradas no intestino é menor, o que faz com que a frequência na evacuação seja mais regular, mas ainda exigindo algum esforço para expelir. De qualquer forma, recomenda-se procurar um médico, para saber se existe algum tratamento, e também utilizar probióticos e alimentar-se de maneira equilibrada.

Tipo 4 – Como uma salsicha ou serpente, suave e macio

O formato ideal de fezes, alongadas, lisas e macias, que lembram a forma de uma salsicha ou de uma cobra. É o formato de quem vai ao banheiro uma vez por dia. A evacuação ocorre sem esforço.

Tipo 5 – Bolhas suaves com bordas nítidas (que passa facilmente)

É também um tipo considerado ideal, que se caracteriza por fezes separadas em pedaços macios e com bordas bem definidas, sendo fáceis de evacuar. É o formato de quem vai ao banheiro de 2 a 3 vezes por dia.

Tipo 6 – Peças fofas com bordas em pedaços

Nesse caso, é quando a pessoa está quase com diarreia, sendo difícil controlar o desejo de evacuar, indo ao banheiro várias vezes. São fezes desorganizadas, que costumam causar bastante sujeira ao usar o papel higiênico.

É fundamental, nesse tipo de fezes, lavar bem a região após defecar, para que as bactérias das fezes não subam para o trato urinário e causem infecções.

A pressão arterial elevada, o stress e o consumo de laxantes, de bebidas energéticas ou refeições condimentadas podem ser a causa do tipo 6.

Tipo 7 – Aquoso, sem partes sólidas, inteiramente líquido

É a famosa diarreia, caracterizada por evacuações totalmente líquidas e sem pedaços sólidos, que normalmente são acompanhadas de dores abdominais e desidratação.

Pode ser causado por diversos tipos de doenças, como intolerância à lactose, infecção intestinal e viroses. É mais comum em idosos e crianças que ainda não tem uma flora intestinal bem formada. Porém, se a pessoa não está doente e tem diarreias frequentes, é melhor procurar um médico.

Em geral, são considerados normais as fezes nos formatos 3, 4 e 5, especialmente quando o intestino mantém uma boa frequência de evacuações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *