Losartana da Medley é recolhida do mercado: saiba o que deve fazer quem toma o remédio para o coração

A farmacêutica Sanofi Medley irá recolher do mercado, de maneira voluntária e preventiva, três formulações de medicamentos com o princípio ativo losartana. A retirada do remédio foi determinada após a detecção da presença de impurezas nos produtos, que podem causar mutações e aumentar o risco de câncer.

Segundo o comunicado da farmacêutica, o IFA – ingrediente farmacêutico ativo do medicamento será reajustado para que ele seja colocado de volta em circulação. Esse tipo de medicamento é indicado para pacientes com insuficiência cardíaca e hipertensão arterial (pressão alta).

Conforme alertou inclusive a farmacêutica, a interrupção do tratamento com losartana pode trazer riscos para a saúde.

Qual impureza foi detectada?

A Medley relatou que foi encontrada no medicamento uma impureza mutagênica, que é uma substância química que pode causar alterações no DNA das células. Esse tipo de mutação pode aumentar o risco de câncer em longo prazo, mas o risco específico de câncer causado por essa impureza não foi confirmado por estudos clínicos.

A farmacêutica também informou que não recebeu relatos de efeitos colaterais adversos que pudessem associar o uso de medicamentos com losartana à ocorrência de problemas de saúde derivados de alterações no DNA das células.

Os medicamentos recolhidos pela Medley são:

  • Losartana potássica + hidroclorotiazida 50 mg + 12,5 mg
  • Losartana potássica + hidroclorotiazida 100 mg + 25 mg
  • Losartana potássica 50 mg
  • Losartana potássica 100 mg

Para que a Losartana é usada?

É um medicamento anti-hipertensivo, que visa baixar a pressão do paciente e fazer com que ela fique em níveis aceitáveis, sendo utilizado também para combater a insuficiência cardíaca.

O que são as impurezas?

Segundo a Anvisa, essas impurezas, chamadas de nitrosaminas, podem causar mutação no DNA de uma célula, transformando-a em uma célula cancerígena, embora isso ainda não tenha sido confirmado por estudos clínicos. Ou seja, existe uma possibilidade dessas impurezas provocarem algumas mutações genéticas, embora a probabilidade de isso acontecer seja bem baixa.

Interrupção do tratamento

Segundo a farmacêutica, a “interrupção abrupta do tratamento” com losartana possui riscos. Segundo o comunicado, “o risco para a saúde de interromper abruptamente a medicação, sem tratamento alternativo e sem consultar o médico, é maior do que o potencial risco apresentado pela impureza em níveis baixos”.

O que deve fazer o paciente

Deve procurar o médico e confirmar se o seu lote é um dos lotes recolhidos. Se confirmado, deve trocar o lote ou o fabricante, mas não deve jamais interromper o tratamento. Segundo especialistas, há no mercado diversas classes de medicamentos anti-hipertensivos que podem substituir o medicamento recolhido e que somente os médicos são capazes de avaliar a medicação que deverá ser ajustada segundo o perfil de cada paciente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.